DESTINO DO MUNDO

 

No Princípio

Deus criou o universo, não coagido pela necessidade  de uma complementação nem para aumentar sua felicidade,mas tão somente para estender sua perfeição e sua felicidade a outros seres.

Como que forçado pelo transbordamento de seu amor, quis fazer participantes de sua própria glória outros seres, principalmente os racionais Quis encher também outros seres com este foco de infinito amor e de infinita felicidade, que ó o Ser Divino. O Rio Eterno da plenitude do Ser transbordou, tornou-se mar e vastidão a envolver tudo quanto existe e existirá.

Fez participantes de sua perfeição as criaturas, as quais O imitam em razão da semelhança, ainda que remota, de sua natureza. Imitam-no em sua atividade pelas faculdades da mente: a de conhecer, de querer, de amar.

 

Expo-Universo

Deus criou para apresentar seus valores. E valeu a pena!

Última finalidade do mundo criado é difundir e alargar a bondade de Deus e fazer o maior número possível de seres, participantes desses bens e valores. Cada ser deles participa segundo sua capacidade, de acordo com a escala da existência: pedra — planta — animal. A participação mais perfeita cabe aos seres racionais O aperfeiçoamento da terra e de seus habitantes, os homens, visa apenas tornar a terra e a humanidade mais semelhantes a Deus; isto é., pretende fazê-las participar melhor da perfeição divina e conseqüentemente de sua felicidade.

E assim o mundo, o universo todo, glorifica o Criador com sua existência, manifestando em sua natureza a grandeza de Deus. E as criaturas racionais dão ainda maior glória a Deus, conhecendo e reconhecendo a beleza do mundo criado e amando o Deus criador.

O último destino do universo, portanto, é a glória de Deus.

 

Extraído do livro Teologia das Realidades Celestes do Padre João Beting CSsR