TRANSFORMAÇÃO EM DEUS

 Tauler 

“Ó alma, apressa-te a voltar para casa. Esqueçe tudo quanto viste e ouviste cá fora. Vais encontrar Deus lá dentro. Desocupa o lugar. Onde não mais estás, aí Deus está”.

 

Sta.Gema Galgani

 Exclama num êxtase: “Ó Jesus eu te sinto. Sinto teu sangue correr pelas minhas veias. Como estou contente!

Agora posso descansar junto ao teu coração. Agora, querendo encontrar-te, procuro-te no silêncio do meu coração.

Oh! sinto-te em meu coração. Sinto-te tão vivo”.

 

Sta.Margarida Alacoque

 “Eis a veste da inocência com a qual adorno tua alma, a fim de que vivas somente a vida de um homem-Deus. Pois sou eu tua vida e tu não viveras mais, senão em mim e por mim.”

 

Matilde de Helfta

“Pedi a Jesus uma lembrança perene. Jesus responde: “Dou-te meus olhos para que olhes tudo por eles. Dou-te meus ouvidos para que compreendas tudo que ouves. Dou-te minha boca para que faças passar por ela todas as tuas palavras, preces e cantos. Dou-te meu coração a fim de que penses por ele, e por ele me ames a mim, e todas as coisas por causa de mim.” E parecia-me ver com os olhos de Deus; ouvir com seus ouvidos; falar com sua boca. E parecia-me não ter outro coração, senão o de Deus”.

 Jesus: “Ponha-me no lugar de tua vontade; então quando trabalhas, eu trabalho por ti… para o futuro não terás mais vontade própria. A minha vontade será a tua. Quando trabalhas, eu trabalho por ti. Quando tomas repouso, eu descanso em ti. Eu vejo com teus olhos; trabalho com tuas mãos; falo com tua boca; oro por ti; e visto que meu maior desejo foi sofrer, sofrerei ainda em ti e por ti; contínuo assim minha paixão e aplico-a às almas, sofrendo na pessoa dos meus eleitos”.

Droste -Vischering

 Bebera água com o pus de uma doente. Jesus recompensou-a, deixando que bebesse na chaga do seu coração. Em seguida, Jesus tirou-lhe o coração, e deixoua alguns dias sem coração. Quando voltou: “Dou-te, agora, o meu em troca.” E uma cicatriz no peito ficou até a morte.

Sta.Catarina de Sena

Catarina comenta: “Não pude mais dizer: recomendo-te meu coração ó Jesus.” Interpela o confessor, Pe.Raimundo: “Não estás vendo; não sou mais aquela que fui; estou mudada em outra pessoa, e se soubesses o que sinto.” Uma “outra” transformação dera-se anos antes: Raimundo estava ainda duvidando das visões. Subitamente o rosto de Catarina se transforma no rosto de um homem, barbudo, olhando-o com severidade. “Quem está me olhando?” exclamou assustado. “Aquele que existe”.

 Engenhosa é a palavra de Sta. Teresa comparando a alma com o bicho-da-seda. “Vive comendo, dia e noite sem parar, a folhagem verde. Depois, encasula-se e surge a borboleta, a adejar de flor em flor, alimentando-se então apenas com o néctar das flores. Que contraste!”

Teresa d’Avila

“Ele começa a lavrar a seda e construir a casa onde há de morrer. Para nós, esta casa é Cristo. Parece-me ter lido que nossa vida está escondida em Cristo (Cl 3,3).

Que sua Majestade mesma seja nossa morada, e que nós fabriquemos (quer dizer: ele vai juntar nossos trabalhinhos com os grandes trabalhos que padeceu e fazer de tudo uma só coisa…) [sic] Demo-nos pressa em tecer esse casulinho. Morra, morra este verme… Sai uma mariposinha branca, quão transformada!…

A mesma alma não se conhece mais. Que diferença entre um feio verme e uma branca mariposinha… Nasceram-lhe asas, não se contenta mais ir passo a passo, pode voar. Tudo quanto faz por Deus, julga por ninharia. Não acha demais o que passaram os santos…

Tudo a cansa depois que experimentou que o verdadeiro descanso não vem das criaturas…

Que grandeza de Deus! Ainda há poucos anos, e quiçá há poucos dias, andava esta alma que não se lembrava senão de si. O Senhor a fez entrar na adega dos seus vinhos, e ordenou nela a caridade. O Senhor quer que saia dali marcada com o selo divino. Basta que a cera esteja mole, e é só ficar quieta e consentir. Ó bondade de Deus, que tudo há de ser a vossa custa. Só quereis nossa vontade, e não encontrar impedimento na cera.” (Morada 5,2)

“Tudo quanto se pode entender, fica a alma, ou o seu espírito, feita uma coisa só com Deus… Como duas velas de cera perfeitamente unidas dão uma só luz… Vê-se claramente ser Deus quem dá a vida à alma. Sente-o muito bem a alma e exclama: ó vida de minha vida e sustento que me sustentas.” (Morada 7,2)

Vivendo na presença da Santíssima. Trindade “estava espantada de ver tão grande Majestade em coisa tão baixa como minha alma, e ouvi: não és baixa, filha, pois és feita como minha imagem” (Relaciones (Bac), 11)

“Veio-me a idéia de uma esponja embebida e saturada de água: assim se me afigura minha alma repleta da divindade… Também entendi: “Não trabalhes para me teres a mim encerrado em ti, senão para te encerrares em mim” (Relaciones 18)

Teologia das Realidades Celestes: Padre João Beting CSsR

   

 

  

Anúncios