Lucie Christine, +1908

Jesus: “A vida sou eu. A parte melhor sou eu. A caridade

sou eu. A caridade de Deus abraça a todos os pecadores

e todos os justos como numa rede de amor. Ninguém

lhe escapa, a não ser aqueles que o querem absolutamente”.

“Ó Senhor, porque jogas pérolas tão belas num

monturo? Não encontras servidores melhores do que eu?

Serás melhor servido por outrem, do que por mim”.

“Não posso suportar o pensamento de que alguém

te ame mais do que eu. Puseste em meu coração este

desejo como uma chama ardente, mas isto não basta.

Faze ainda que eu te faça amar: dá-lhes teu amor”

“A gente ama estes fiapos e fagulhas de amor e de

beleza que ele espalha sobre o mundo. Mas no infinitamente

amável, quem pensa? Quem se lembra dele? Nós

ao menos… Ó cegos do espírito mundano, se soubésseis

o que é Deus… Meu segredo, ardia-me sobre os meus

lábios.. Vi o olhar adorável de Jesus… Ele me dizia: “Eu te

amo; que te importa o resto?”

“Acontece também que a alma se acha unida à Santíssima.

Virgem de uma maneira especial. Ela o sente

como uma laço bendito a firmar sua união com Jesus”.

Jesus: “Que só eu exista em tua alma”.

Jesus queixa-se que quer dar-se na comunhão, mas

muitas vezes só encontra corações estreitos… está sobre

o altar de braços abertos, mas a maioria não responde ao

convite. E ele vê-se forçado a reter os tesouros de amor e

de graças que tanto deseja poder distribuir.

Jesus: “Fui eu que comecei tua santificação. Sou eu

que a terminarei. Não te perturbes. Não temas. Teu sofrimento

aceito por meu amor é uma oração; permanece

unida a mim sem o sentir”.

Jesus: “Tu és a favorita de Deus”. “Eu, Senhor? Mas

não possuo nada para ser tua favorita”. “É verdade. Só

tens o que eu te dei. Os homens não vêem meus dons

mas eu os vejo. Tu és meu sacrário.” “Mas se eu fosse tu,

não a mim é que eu escolheria como criatura favorita.”

“Mas Jesus gosta de dar-se a quem nada é e nada tem, e

felizmente disso sabe.”

“Ó meu amor e meu Deus! Faze que meu coração

jamais se esqueça do que viu e entendeu. Minha alma foi

repentinamente elevada ao mais alto céu. E ali ela vos

contemplava, ó Pai, ó Filho, ó Espírito Santo! Vós a cumulastes

toda inteira… Meu coração sentiu que tem necessidade

de Deus em toda a sua plenitude, nas suas três

Pessoas, e à esta hora estava satisfeita. Esta Trindade

adorável imprimiu-lhe um respeito que não tem nome na

terra, ao mesmo tempo que a convidava suavemente a

repousar nela”.

Jesus: “O coração dos homens freqüentemente está

repleto de apegos quando vêm comungar. Podes derramar

um licor precioso num vaso cheio até a borda? Assim,

meu amor é rejeitado”. Jesus garante-lhe que nunca

cometeu pecado deliberado: “O Esposo celeste havia estendido

seu manto real ao redor desta plantinha frágil. Ela

carregava frutos e sementes que recaíram sobre outras

almas.”

“Criatura alguma, nem a mais digna, nem a mais

querida não será jamais necessária ao nosso coração.

Não! Há somente um único ser que o nosso amor reclama!

 Teologia das Realidades Celestes: Padre João Beting CSsR

Anúncios