Um único que o nosso coração procura… Até o ter encontrado. Há um clamor que parte com espontaneidade das profundezas da alma. Este ser, este grito é Deus. Ó Deus, o mundo não te conhece!”

Jesus: “Queixar-se a mim é rezar. Ora, pois, dize-me tuas mágoas. A mim podes dizer tudo… Sê paciente contigo mesma; eu também o sou para contigo”.

“Sua bondade deixa-nos certas imperfeições, a fim de lembrar-nos de nossa miséria e manter-nos na humildade”.

“União com Maria Santíssima: a Mãe bendita é o laço de união entre Deus e nós. Jesus me fez ver e sentir isto”.

“Não posso e não devo afastar-me de Deus no sofrimento.

É preciso aceitá-lo como inseparável do amor aqui na terra. O amor sofre como a voz canta. Ver menos a cruz que aquele que a traz”.

Jesus: “Não temas; sou eu. Toma tudo o que te conduz a mim e deixa o resto”.

“Deves amar mais o que Deus ama”.

 “Repousa na cruz. Ela não é uma árvore estéril e morta. Tem seiva possante. Traz flores e frutos. Na Cruz não estás só. Teu Deus nela está à tua espera”.

“Sou a misericórdia”. “Sou tudo para ti. Não busques nada fora de mim. Isto não é exigência, é ternura e misericórdia”.

Jesus mostra que encontra poucas almas que consintam ocupar-se só dele: “Será que não sou bastante atraente, sem igual, para que as almas estejam satisfeitas comigo e se ocupem de mim?”

Jesus: “Sou eu que vivo em ti, ainda que não me sintas…

Se não estás perto de mim, estou ao teu lado”…

“Já não sou eu que estou aqui: é Ele. Não me vejo mais: só vejo Jesus. Não sou destruída, mas sua vida apodera-se de mim; domina-me; absorve-me. Não me conheço mais. Só vejo o Filho de Deus real e sacramentalmente presente neste lugar. Eu o adoro: mas a ação divina penetra e transforma minha adoração. O ser divino pensa, vive e ama em mim. Não tenho mais vida senão, nele”.

É necessário ocupar e entreter em casa os filhos maiores. Sou costureira, ensaísta, repetidora e diretora de elenco. Mando as cartas de convite, preparando uma representação teatral. “Nossas afeições na terra são um só começo; na outra vida é que atingem seu pleno desenvolvimento”.

Jesus explica suas predileções: “O amor não tem outra razão de ser, senão ele mesmo”. “O reinado de Jesus baseia-se em muitos títulos: de criador, de redentor…”

“No céu haverá entre os eleitos um pequeno grupo preferido:

as almas das quais é esposo.” “Pedi que aumentasse a fé de meus filhos, e Jesus mostrou-me que ele é mais pai para eles, do que eu a mãe. E disse-me: Reza daqui em diante: Senhor, recomendo-te nossos filhos.”

Jesus: “Nunca me recusaste nada. A última chamada (a morte) também será um apelo de amor e corresponderás”.

Teologia das Realidades Celestes: Padre João Beting CSsR

Anúncios