Charles de Foucauld, +1916

“Estando triste e abatido, basta ajoelhar-se aos pés

do sacrário e dizer: Senhor, tu és infinitamente feliz e nada

te falta. Portanto, eu também sou feliz e nada me falta”.

“Logo que acreditei que existia um Deus, compreendi

que daí em diante só poderia viver para ele. Deus é tão

grande e há uma diferença tão grande entre Deus e o que

não é Deus! Vivo aos pés de Jesus, dizendo-lhe que o

amo. E ele a responder-me que, por maior que seja meu

amor, jamais o amarei tanto quanto ele me ama.”

“Mesmo cumprindo nosso dever, lancemos sem cessar

nosso olhar para ele, sem nunca dele desprender o

coração e os olhos. Fixemos nossos olhos no trabalho

apenas o necessário, mas de modo nenhum nosso coração.

Quando se ama, pensa-se só numa coisa: no ser

amado. Uma única coisa preocupa: o bem-estar do amado.

A gente sente-se absolutamente incapaz de dar o mínimo

apreço a outras coisas. Quando se ama, uma só

coisa existe: o ser amado. O resto do mundo é como se

não fosse, não existisse. Quando um coração ama a

Deus, pode haver lugar para preocupações? Para cuidados

materiais?”

Jesus: “Tu me perguntas em que mais me ofendes?

Não me amas com bastante pureza, com bastante exclusividade,

pois amas a ti e amas as criaturas por ti e por

elas. Não deves fazer nada por ti. Nada para as criaturas,

por amor de ti, ou por amor delas. Em tudo que tens de

fazer, considera somente a mim. Pergunta-te em tudo,

unicamente, o que teria feito o Mestre, e faze aquilo. Assim,

tu amas só a mim. Assim, eu vivo em ti. Assim, te

perdes em mim. E meu reino terá chegado a ti”.

“Em tudo tenhas em vista só a Deus. Em coisa alguma

tenhas em vista a ti, ou a outra criatura”.

 “Não é possível praticar o preceito da caridade fraterna

sem consagrar a minha vida a fazer todo o bem

possível a estes irmãos de Jesus aos quais falta tudo,

porque lhes falta Jesus”.

 

Teologia das Realidades Celestes: Padre joão Beting CSsR