Maria Angélica, +1919

 

“Senti-me de repente e fortemente presa por Jesus.

Era o Amor, e eu estava como que envolvida, absorvida.

Vi que ele me amava com loucura. Mostrou-me minha alma pequenina: vi que era radiosa, resplandecente de luz. Ao mesmo tempo, Jesus mostrou que todo este esplendor, toda esta beleza vinha dele; que era obra sua.

Ele fizera tudo isso, num pequeno nada impuro… Parecia triunfante pelo que fizera. Ao mostrar-me que tudo provinha dele e que eu era nada, foi como uma luz ofuscante a inundar-me a alma”.

“Ele quer que eu abandone todas as criaturas para ocupar-me só dele e do meu dever; que me abandone para amar só a ele. Repreende-me quando tenho ainda mesmo que só um pouquinho de cuidado de minha alma.

E diz: Deixa aí teus interesses, minha filha, e não te ocupes senão com os meus. Minhas pequenas esposas devem pensar mais em amar-me do que em santificar-se. Tu és o pequeno nada e eu sou tudo”.

“As criaturas parecem-me todas tão pobres, verdadeiros nadas. Não me atraem mais”. “Creio que agora toda afeição natural me será impossível. Mas sinto que por isto mesmo posso amá-las tanto melhor. Agora todo o amor em mim é caridade. É o que procuro realizar de manhã à noite”. “Compreendi que Jesus é tão louco de amor, que agora não estranho mais nada da parte dele. O que estranho é minha lentidão, minha lerdeza em amá-lo”.

“Encontrei-me diante da Santíssima Trindade. Era o infinito… Não via nada. Somente o intelecto via, admirava, adorava. Eu não era mais nada. Jesus fez-me entender que ele seria meu mediador junto ao Pai e ao Espírito Santo em prol das almas”.

Jesus: “Para provar-me teu amor, vi que eras capaz de sofrer”.

“A vida da alma está na oração. Porque aí ela se une plenamente a Deus”.

“Parecia-me que Jesus me revestira de sua santidade, como uma esposa ornada com suas jóias. Jesus pergunta: quem és tu? Respondi por três ou quatro vezes: um nada. Depois me disse: tu és a minha esposa. Vi que ele me tratava como esposa e que seus tesouros eram meus”.

Jesus: “Quanto mais uma alma se sente miserável, tanto mais tem direitos sobre o meu coração”.

“Jesus tem tanta necessidade de almas que queiram sofrer por seu serviço.”

“A vida de união é o que há de mais importante, e é a menos compreendida. Tudo se baseia na oração”.

“Para elevar-se ao amor é necessário crucificar sem cessar o que não é amor. Amor sem cruz é impossível”.

Jesus: “Peço-vos o sofrimento como meio de amor”.

“Jesus sabe, às maravilhas, moer seu trigo e tratá-lo, para dele fazer um pão bem branco que se tornará hóstia”.

“Nada esperar de nós, tudo esperar de Deus”.

“Rezemos à Santíssima Virgem, pois ela torna suas filhas agradáveis a Jesus”.

“Queria transformar todas as almas em almas de luz… Toda a minha vida será amar a Jesus e torná-lo amado”.

Teologia das Realidades Celestes: Padre João Beting CSsR

Anúncios