Maria Santa Cecília, +1929

“Jesus deu-me seus olhos, seus ouvidos, seus sentidos; isto quer dizer que ele é a vida da minha vida”. “Amo em ti e por ti. Daqui em diante te chamarás Jesus.

Mas quando fizeres alguma falta ou tolice, te chamarei de Cecília”.

“Se conhecêssemos este tesouro infinito (da cruz) dia e noite não cessaríamos de dirigir a Deus súplicas ardentes a fim de obtê-lo. Se compreendêssemos o valor de nossas cruzes, ficaríamos paralisados de alegria e felicidade ao recebê-las. Provações, tribulações, angústias, provocariam nossos cantos de alegria e espontaneamente entoaríamos o Te Deum. Jesus abraça a cruz com paixão.

Ama-a até à loucura. E quando nos presenteia com uma parcela desta riqueza mística, hesitamos em estender a mão”.

“Saboreio a felicidade perfeita, e ao mesmo tempo o favor inestimável de ressentir a agudeza do sofrimento”.

“Estou pedindo a Jesus amor sem medida e sem limites, a fim de satisfazer o desejo insaciável que o tortura de darse às almas. Bem poucas almas se deixam invadir por suas torrentes de felicidade. O amor procura corações abertos. Infelizmente só encontra recusas. Não o querem receber. Têm receio de se abandonarem a ele. Têm medo que lhes falem de renúncias. A abnegação é apenas um tênue envelope que envolve a pérola preciosa. Se consentimos em morrer a nós mesmos, o invólucro se rasga”.

“Não existo mais. Meu ser foi aniquilado. Meu substituto, Jesus, trabalha em meu lugar”. “Devo dar, irradiar, derramar o amor de seu coração”.

“Sinto-me fraca, pobre e incapaz. Por causa disto minha confiança é como oceano sem horizonte, deglutindo o abismo de minhas misérias. A bondade de Deus: eis a minha segurança”. “Sofro muito interiormente: como é bom isto”.

“Jesus ordena-me rezar pelas almas consagradas. O dom de Deus para elas é seu Coração. Ah! Se o conhecessem!

Desde algumas semanas (precedera uma estigmatização invisível) Jesus compraz-se em chamar-me seu pequeno “Eu”. Ele tomou meu lugar”.

Jesus: “Meu coração pensa continuamente nas almas e a maior parte não se interessa por mim. Estou à procura de uma alma que represente a humanidade inteira.

Uma alma à qual eu possa dar a graça de pensar continuamente em Deus. E escolhi a ti. Quero passar ao teu nada o meu pensamento de Deus”.

Jesus: “Por minha Mãe Santíssima dou-te a graça de pensar continuamente em mim, de pensar em Deus.

Dou-te o meu pensamento contínuo de Deus, meu pensamento de amor. Meu coração pensa sem cessar nas almas. Mas elas, mesmo as consagradas, esquecem-me tantas vezes”.

 Teologia das Realidades Celestes: Padre João Beting CSsR