Os Precursores

 

Onias, o sumo pontífice, santo e mártir do ano 180 antes de Cristo, figura simbólica do Sumo Pontífice Cristo Jesus, é apresentado em 2 Macabeus 15, 12: “É este que reza tanto pelo povo de Deus”.

Retornemos ao início da religião judaica. Moisés reza de braços erguidos, figura da cruz, pela vitória de Israel contra Amalec. Cansado, o ancião deixa cair os braços e logo Israel começa a perder. Finalmente, Hur e Aarão sustentam-lhe os braços até a vitória final (Ex 17,8).

Retornemos ao início do povo de Deus. Abraão é o primeiro na história da salvação a praticar o apostolado da oração: Gn 18. Deus revelara-lhe a destruição de Sodoma, em castigo de seus crimes. E Abraão intercede. “Perderás o justo com o ímpio? Longe de Deus”. “Se houver cinqüenta justos na cidade, perecerão todos juntos?” E Deus declara: “Perdoarei por causa deles à toda a cidade”. Abraão tomou coragem e começou a negociar. “E se houver só quarenta e cinco?” “Perdoado”. “E se houver somente quarenta?… E se houver só dez?” E Deus respondeu: “Não destruirei a cidade por amor dos dez justos”.

Comovente e condescendência de Deus, tão humana.

“Deus não quer a morte do pecador, mas sua conversão a fim de que ele viva” (Ez 33,11).

 

Outrora e Hoje

 

Pio X encarregou o Pe. Fonch, SJ. da Fundação do Instituto Bíblico. Faltavam porém todos os recursos financeiros.

O único recurso possível era o Coração de Jesus.

E os dois fizeram juntos trinta novenas. Custou… e Pio X era um santo… A perseverança em bater, abre todas as portas.

 Sta. Mônica rezou durante dezoito anos pela conversão do filho pecador e dele faz um santo.

Eça de Queiroz, Ramalho Ortigão e Guerra Junqueira morrem cristãos, mercê das preces de almas cristãs, suas esposas. Paulo Setúbal narra como as orações da esposa e da sua filha o trouxeram de volta a Cristo.

Sta. Catarina de Sena reza pelos pecadores. Seu primeiro troféu é o blasfemador André Nandini, convertido ao amor de Deus na hora da morte. Depois Deus pede-lhe expressamente: “Recomendo-te que rezes com fervor e com perseverança pela conversão dos pecadores; quero que por eles me faças violência com preces e lágrimas”.

Sta. Teresinha salvou o tríplice assassino, Pranzini, um minuto antes de morrer na forca. Maurras deve sua conversão às orações (e às doenças) de Reine Colin, +1935.

 

Alta Política

Grandes generais venceram batalhas à custa de rezar o terço. Sobiesky, o herói da Polônia; Tilly e Radetzky. E figure aqui o melhor general de Frederico II da Prússia, o piedoso general Ziethen.

O’Connel, o libertador da Irlanda no século XIX, rezou terços no Parlamento de Londres, durante as sessões que decidiram o destino de sua pátria.

Ganhou batalhas parlamentares tão deslumbrantes, diz ele, graças aos terços de sua mãe, na Irlanda. Famosos médicos declararam que, antes de uma operação difícil, fazem questão de assistir à Santa Missa, de comungar ou de ao menos rezar um terço.

Um B-29, durante a Segunda Grande Guerra, em vôo de treinamento. Inverno. Os lemes recusam-se a obedecer.

Em vôo reto, continuariam até acabar a gasolina e acabariam em algum ponto do oceano. Aí, o piloto se recordou e gritou para o artilheiro: Bob, passa-me aquela coisa de teu pescoço. Bob tinha sempre no pescoço uma medalha de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Ainda ontem, caçoaram dele; mas nem ligou. O piloto encostou a medalha nos botões de comando. Todos funcionaram novamente. Retornaram são e salvos.

 Teologia das Realidades Celestes: Padre João Beting CSsR

Anúncios