São Bernardino de Sena

Pede a Jesus para manifestar-lhe sua vontade. Jesus: “Tu me vês despojado de tudo e pregado numa cruz por teu amor. Se me amas, deves despojar-te de tudo e viver uma vida crucificada”.

Bernardino faz-se franciscano. Anos depois repete a mesma pergunta. E Jesus: “Meu filho, tu me vês ainda pregado na cruz. Se me amas, crava-te também na tua cruz. Assim, terás certeza de me encontrar”.

Verônica Giuliani

Pedia muitas vezes aumento dos sofrimentos. Jesus: “Se queres mais, é preciso que primeiro cresça teu amor”.

Rezando perante o crucifixo, Jesus puxa conversa: “Fica sossegada, tua vida será um sofrimento contínuo. Eu o quero assim. Quero que sejas mais parecida comigo, teu esposo crucificado”.

Aparece com um cálice na mão: “É para ti; tu deves ter o mesmo gosto que eu”. Outra vez: “Tenho prazer em te ver sofrer, porque és minha bem-amada… Daqui em diante tudo te servirá para sofrer mais.. E não poderás contar-me os teus males. Terás penas em tudo. Eu é que o quero assim. E em todos os sofrimentos tu participas neste tesouro. É o nome que dão à cruz aqueles que me amam”.

“Agora que estás no sofrimento, é tempo de graças”.

“Pede penas e tormentos: aí se encontra o amor”.

“Aprende de uma vez para sempre, e saibas que o sofrimento é o caminho do amor; um e outro caminham juntos”.

Teologia das realidades Celestes

Anúncios