Matilde de Magdeburgo

“Deus mostrou-me a chaga do seu coração dizendo: vê o mal que me fizeram”.

Matilde de Helfta

Jesus aparece-lhe no altar, de braços estendidos, jorrando sangue por todas as chagas, para aplacar. Maria Santíssima chama a monja: “Aproxima-te e saúda a chaga do coração amantíssimo”.

“Ao abrir-se o costado pela lança, brindei refresco de vida de meu próprio coração a todos aqueles que, pelo pecado de Adão, tragaram o porção de morte, para que se tornem filhos da vida eterna”.

“Deposita todas as tuas penas em meu coração. Eu lhes darei a perfeição mais elevada possível. Eu as unirei à minha Paixão e participarão da minha glória…”

“Confia cada uma de tuas penas ao Amor’.

“Para reparar tuas negligência e reaver o tempo perdido, saúda meu coração, fonte de todas as graças”.

Matilde viu o coração de N. Senhor qual uma chama de fogo. E Jesus lhe diz: “Assim queria que todos os corações ardessem em chamas de amor”.

“Oferece-me, cada manhã, o teu coração para que eu derrame nele meu divino amor”. “Minha bem-amada, por que estás triste? Tudo o que é meu, é teu”. “Ah, se é assim, de verdade, então teu amor é meu… ofereço-te este amor para suprir minha falta”.

E Jesus ensina a dizer: “Jesus, eu te amo; completa por favor o que falta…”. “E se mo disser mil vezes por dia não ficaria aborrecido ou cansado”.

Gertrudes de Helfta

Recebeu a ferida do amor. Recebeu a troco de corações.

Recebeu estigmas invisíveis Jesus prende sua mão direita à chaga do seu coração.

“Eis, aqui tens o meu coração, a lira da Santíssima Trindade… Podes pedir-lhe com confiança que supra por ti… meu coração está sempre diante de ti, à tua disposição, para suprir a qualquer hora tuas negligências”.

Estando impedida pela doença de cantar no coro, Jesus a substitui: “Tu cantaste muitas vezes por meio do meu coração. Por isso vou pagar-te com a mesma moeda; cantarei por ti”.

Século XV

No século XV o culto ao Sagrado Coração de Jesus é devoção popular. Mas sobreveio a revolução religiosa, qual uma geada. Sobreveio o tenebroso jansenismo. Jesus julgou necessário revelar de novo à cristandade a sua bondade, sua misericórdia, seu amor que vence de longe a justiça e a santidade tétrica do jansenismo.

E Jesus escolheu Sta. Margarida Alacoque.

Teologia das Realidades Celestes