“Ó Jesus Cristo, dai-nos fé grande e alargai nosso coração estreito!”

No sagrado mistério pão e vinho transformam-se, mudam de natureza. Pão e vinho! O pão é Corpo de Cristo.

Vinho é Sangue de Deus. E uma grande saudade deve brotar da alma: “Ó Senhor, muda também a mim. Transforma-me em Ti, ó Deus Onipotente.

Aqui jaz minha alma fraca; transforma-a em força.

Aqui jaz minha alma escura; transforma-a em luz.

Aqui jaz minha alma fria e dura; faze-a ficar fogo.

Transforma meu ser terreno em vida divina.”

Gólgota Perene

A vida de Deus, a vida da salvação, é a cruz do Salvador, a única via: a dor de Cristo e a dor do Corpo místico.

Calvário e Missa. Em rigor, todos nós que somos necessitados da salvação, deveríamos retornar no tempo, ao ano trinta, e colocar-nos debaixo da cruz de Redentor, oferecendo-nos junto com a vítima divina, porque o que nos salva é o contato com a cruz. “Com Cristo cravado na cruz” (Gl 2,19). “Em simbiose com sua morte” (Rm 6,5).

Mas, sendo impossível o retorno no tempo, Jesus inventou um modo de tornar seu sacrifício, sua cruz, sua morte, presentes a todos os séculos da história da humanidade: todas as ondas das gerações humanas embatem no morro do Calvário.

Ou melhor: Jesus plantou sua cruz e sua morte salvífica dentro do rio humano, colorindo suas águas com sangue divino. E todas as gerações futuras passam, quais ondas, debaixo de sua bênção.

 Assistindo à Santa Missa, tornamo-nos contemporâneos de Jesus. Com Maria Santíssima, com as mulheres, com João, o apóstolo, assistimos de um modo misterioso, mas real, à morte de Jesus no alto do Calvário.

Paixão e morte foram para Jesus o caminho necessário para a glória. Vale a mesma lei para seu Corpo místico, para nós. A Santa Missa introduz-nos no mistério pascal. Ela se repete a fim de incorporar todas as gerações sucessivas, até se completar Cristo total.

Infinita

E sua bênção é poderosa, infinita. É o maior sacrifício da humanidade, e maior que todos aqueles milhões de sacrifícios oferecidos ao céu, desde a origem até hoje. É a vítima mais preciosa. De valor infinito, sem limites e sem restrições. O Sangue de Deus brada ao céu, implorando perdão e oferecendo satisfação total.

Anúncios