Efeitos

 Enfim, chegamos às almas vítimas entre o povo de Deus, no sentido próprio da palavra. Almas prediletas, às quais Deus dá sua graça de eleição: o sofrimento. Sofrimento físico ou moral, como ocorre na existência humana.

E muitas vezes, talvez sempre, recebem também participação mística nas fases da paixão, à maneira dos estigmatizados.

Estas vítimas aceitam essa graça de Deus com coragem e gratidão. E sua vida tornar-se-á cópia fiel do mártir do Gólgota. São os varejistas do grande sacrifício da redenção.

As almas vítimas, que se dedicam a oferecer as Santas Chagas, a Santa Face, o Sagrado Coração, o Precioso Sangue, a Santa Missa, propriamente estão rezando.

E o convite para este estágio de almas vítimas é universal.

É acessível a todos, grandes e pequenos. E creio: Jesus levaria a mal uma recusa. Graça de escol é, porém, o sofrimento.

Jesus pode associar-nos à sua missão de amante do Pai, ao seu múnus de orante, e finalmente à sua missão de vítima padecente, ponto culminante de sua existência terrestre. São as três pérolas do reino: amor, sofrimento, oração.

 “Almas para rezar, encontram-se. Almas para trabalhar (no apostolado), encontram-se em grande número. Almas para trabalhar, para sofrer, encontram-se poucas. A vida real tem poucos reis e rainhas…

E é de todas as vocações a mais misteriosa, a mais sublime e a mais rara” (Plus). Todo o mundo prefere ser copa de árvore florida e carregada de frutas doces; mas é a raiz que importa mais (Krebs).

Mas eu tenho de pagar primeiro minhas próprias faltas, culpas e dívidas… Amigo, deixa este cuidado por conta de Jesus.

Vai e salva teus irmãos que ainda são inimigos de Jesus, e que estão em perigo de permanecerem inimigos de Deus por toda a eternidade. Eis a tarefa mais urgente. Porque tem prazo marcado.

 Teologia das Realidades Celestes

 

 

Anúncios