Lutgarda, 1182 – 1246

Seu primeiro encontro com Cristo deu-se na sala de visitas, quando entretida numa conversa fútil com um admirador de sua beleza de quinze anos. Lutgarda viu, subitamente ao seu lado, Cristo envolto em chamas e luz.

 Mostrou-lhe a chaga aberta do seu Coração e disse-lhe: “Eis aqui o que deves amar”.

Anos mais tarde, já religiosa professa, dialoga com Jesus: “Senhor, quero teu coração”. Jesus replica: “Eu também quero o teu”. Lutgarda: “Com todo prazer, Senhor; toma-o… que esteja sempre em ti”.

Certa noite, com febre, banhada em suor, ouviu o sino tocar para as matinas às duas horas da madrugada, e logo ouviu também as voz de Jesus: “Levanta-te depressa. Por que ficas aí deitada? A esta hora os pecadores revolvem-se na lama dos seus vícios, e tu deves estar fazendo penitência por eles, em vez de ficar deitada à vontade”.

Chegando atrasada à capela, encontra na porta do coro, Jesus crucificado que a abraçou e a fez beber na chaga do seu coração.

Apareceu-lhe a Virgem das Dores: “Vê meu Filho, mais uma vez crucificado pelos hereges e maus cristãos.

Mais uma vez escarram-lhe no rosto. Tu, portanto, faze penitência e jejua sete anos para apaziguar a ira de meu Filho”.

Novamente Lutgarda vê Jesus no céu, mostrando ao Pai suas chagas vermelhas de sangue. Voltando-se para Lutgarda, Jesus lhe diz: “Não vês como me ofereço ao Pai por meus pecadores? Quero que tu também te ofereças totalmente a mim por eles”. E Jesus termina, pedindo uma segunda septena de jejum “pelos pecadores”.

Um terceiro jejum de sete anos, imposto por Jesus, visa combater um poderoso inimigo da Igreja, provavelmente o imperador gibelino Frederico II.

Torturada por desejos ardentes do céu, Jesus aparece-lhe, mostra as cinco chagas e diz: “Vê e contempla, ó bem-amada! Minhas chagas bradam por ti, a fim de que meu sangue não tenha sido derramado em vão… Elas te dizem que tuas dores e tuas lágrimas apaziguam a ira do Pai, para que não lance na morte os pecadores, mas os faça converterem-se”.

 Em 1245, seu último ano de vida, Jesus pede-lhe três coisas:

 1. Agradecer por todos os dons recebidos.

2. Que te entregues totalmente em oração ao Pai, por meus pecadores.

3. Desejar o céu. (T. MERTON, Que são estas, Vozes, 1959).

 

 

Anúncios