Matilde de Magdeburgo, +1283

Jesus aparece-lhe, com as chagas abertas, sangrentas…

Enquanto se cometem pecados na terra, suas chagas ficam sangrando. Jesus mostra-lhe seu coração “que se parece com ouro vermelho na fornalha ardente”. Ele une os dois corações como água e vinho.

Jesus: “Estou unido a ti. Tu me trazes só ferro velho, eu tenho ouro”. Deu-lhe duas moedas de ouro: “Faze com elas teu comércio. As duas valem muito e são igualmente boas. Com a boa vontade e o bom desejo tu podes comprare pagar tudo quando queres”.

Às monjas da abadia, o recado de Jesus: “Eu vos escolhi. Escolhei-me também”.

Matilde tem três filhos. O primeiro são os pobres pecadores.

O segundo são as almas do purgatório. E o terceiro são os religiosos e os eclesiásticos imperfeitos. “E estes filhos causam-me mais dores”.

“Jesus, eu te peço a completa conversão, mudança de vida e perseverança das almas santas. Rezo também por todas as almas sofredoras… por todos os meus perseguidores… pelos moribundos… por todos os que usam o hábito eclesiástico… pelo chefe de Roma… pela Terra Santa… pela paz da cristandade… pelos príncipes deste país… pelos pobres, doentes, aflitos, moribundos, pelos que sofrem no purgatório…”

Visão do purgatório: “Jesus, não posso ir até a estas almas e sofrer com elas?” “Queres entrar? Então irei junto”.

“Vê as almas pelas quais rezaste…” (uma vez, mil foram salvas; outra vez, setenta mil).

Jesus oferece dois cálices. Na mão esquerda, o vinho tinto, o sofrimento. No outro, o vinho do amor divino.

“Bem-aventurados os que bebem este vinho vermelho; pois só eles beberão o segundo.” O sofrimento queixa-se: “Fiz tantos santos e salvei a muitos, e a mim não deixam entrar no céu”… Jesus responde: “Sofrimento, tu não nasceste no céu, mas no coração de Lúcifer e ali ficarás eternamente”.

Deus permite sofrimento e perseguições, porque quer que nos tornemos semelhantes a seu Filho.

Matilde pede para morrer após a santa comunhão:

“Tu deves enriquecer-te mais ainda, pelo sofrimento”.

 “Gosto desta poção salutar que é o sofrimento, suportado por amor de Deus”. “Dai-me vossa bênção!” -“Eu te abençôo com minhas chagas”.

Teologia das Realidades Celestes

Anúncios