Maria José Koumi, +1817

“Escolha: ou carregar os castigos que estes povos (vistos na visão) merecem, ou viver nas consolações da minha intimidade”.

 Josefa escolheu o sofrimento. “Muito bem. A coroa das tribulações cairá sobre tua cabeça e será tua coroa de glória” (1806).

“Nenhuma esposa me é mais cara que aquela que se sacrifica pela salvação do próximo… Tanto desejas unir-te a mim pelo amor, tanto deves desejar a salvação do próximo”.

“Mergulha teu dedo na abertura do meu lado para aspergir o mundo com meu Sangue”.

Rezando por pecadores que se encontravam na iminência de morrer e cair no inferno, e sofrendo horrores por eles, Jesus apareceu-lhe: “Prometo-te, por cada gota de sangue que foi arrancado do teu coração, prometo-te arrancar uma alma das trevas do pecado”.

Ana Maria Taigi, +1837

Pobre mulher romana, casada com um pobre empregado, mãe de sete filhos, foi escolhida por Deus para proteger a Igreja contra a revolução francesa, contra Napoleão e contra os carbonários.

Jesus lhe diz: “Eu te escolhi para ser mártir. Tua vida oferecida para o sustento da fé, será um martírio, mais longo e mais meritório do que o martírio, mais longo e mais meritório do que o martírio de sangue.

 Eu mesmo te conduzirei, levando-te pela mão, ao altar do sacrifício”.

Deus impôs, como quebra-ondas, uma frágil mulher contra a inundação da impiedade. Ana Maria sabia ler, mas não sabia escrever. Sabia porém rezar e sofrer por amor de Deus.

Elisabetta Canori-Mora, +1825

Idêntica a missão desta contemporânea de Ana Maria Taigi. Como ela, mãe de família e romana. Em 1814, Jesus pede-lhe para ajudá-lo na defesa da Igreja que ameaçava ruir.

 Jesus pede-lhe que se ofereça ao Pai como vítima de expiação pelos pecados do mundo. Que reze com fervor pelos interesses da Igreja. Que renuncie aos méritos de todas as suas boas obras. Que esteja disposta a qualquer sofrimento.

Em Sta. Maria Maggiore, nas mãos da Mãe de Deus, faz uma consagração formal e continua sua missão até a morte.

Teologia das Realidades Celestes

Anúncios