11 DE ABRIL – DIA DE SANTA GEMA GALGANI

Sta. Gema Galgani, +1903

Estigmatizada e associada a todas as fases dos padecimentos de Jesus, deseja sofrer: “Jesus, faze-me semelhante a ti. Deixa-me sofrer contigo. Não me poupes nada. Tu sofres, eu devo participar. Tu és o homem das dores. Eu quero ser a filha das dores”.

Participando da Paixão, da agonia do Horto até o Calvário, flagelada no corpo todo com feridas profundas, coroada de espinhos, ferida no ombro pela cruz, e finalmente pelas cinco chagas, Gema é insaciável em sofrer.

Jesus confirma e conforta: “Coragem, Gema, eu espero por ti no Calvário”.

Gema: “Faz tanto bem sofrer contigo”.

 Jesus responde: “Sabe que durante teus sofrimentos, estou sempre junto de ti, comprazendo-me com tua coragem?”

“Jesus me disse que devo pensar só nos pobres pecadores”.

Esta noite eu disse a Jesus que não podia mais E Jesus me respondeu: “Filha minha, eu também não posso mais suportar os maus tratos que me dão. Justamente agora é uma hora de pecados, tão brutos que não posso mais suportá-los! Tu, com teu sofrimento, procura delongar o castigo que meu Pai tem preparado para tantos pobres pecadores.

E não o fazes de bom grado? Respondi que sim, mas tenho medo de não agüentar. E Jesus me disse: “Não tenhas medo. Eu te farei sofrer, mas te darei também a força”.

Jesus: “Quero servir-me justamente de ti, porque és a mais pobre, a mais pecadora de todas as minhas criaturas.

Tu não merecerias outra coisa senão que te mandasse ao inferno. Mas em vez disto, quero que sejas uma vitima e que sofras continuamente, a fim de aplacar a repulsa que meu Pai tem contra os pecadores. Quero que te ofereças a ele como vitima por todos os pecadores”.

“Filha, quanta ingratidão e malícia há no mundo. Os pecadores continuam a viver pertinazes e obstinados no pecado. E meu Pai não os quer mais tolerar. As almas fracas e covardes, estão cheias de melindres para vencer sua carne. As almas aflitas caem no desânimo. As almas fervorosas, pouco a pouco, caem na tibieza.

Os ministros do meu santuário, aos quais confiei a continuação da bela obra da redenção… Tenho-os sempre considerado com predileção. Considerei-os como as pupilas dos meus olhos…

Continuamente, recebo das criaturas só ingratidão e pouco caso. A indiferença vai crescendo dia a dia. Ninguém cai em si”.

“Eu sem cessar mando do céu graças e favores a todas as criaturas, luz e vida à Igreja, virtudes e poder a quem a dirige, sabedoria a quem deve instruir as almas que estão nas trevas; constância e força às almas que me devem seguir. Graças de toda espécie para todos os justos, e também para os pecadores escondidos em suas espeluncas tenebrosas. Mesmo lá dentro mando-lhes luz, mando-lhes amor, faço de tudo para convencê-los e convertê-los,… E o que ganho com isto?.

Ninguém se interessa por meu amor. Meu coração está sempre triste. Nas Igrejas estou quase sempre só. E quando muitos ai se reúnem, é por motivos bem diferentes, e devo suportar e ver minha Igreja reduzida a um teatro de divertimentos”.

“Filha, preciso de vitimas e de vitimas fortes. Para aplacar a ira justa e divina de meu Pai Celeste são necessárias almas que, com seus padecimentos, tribulações e sofrimentos intercedam pelos pecadores e ingratos. Oh! se pudesse fazer compreender a todos quanto meu Pai Celeste castiga a todo gênero humano.

Está preparando um grande castigo a todo o gênero humano! Para apaziguá-lo apresentei-lhe estas almas.

Mas elas não satisfazem a tanto; são poucas”. (Ouvindo blasfemar, Gema sua sangue no corpo inteiro).

“Toda gota de sangue lhe dou, de boa mente, e faço tudo para contentá-Lo, para impedir que os pecadores pobres e maus o ofendam. Sofre-se tanto, tanto, sabes, ao se ver Jesus em meio a tantas dores!… Não posso deixar de oferecer-me a cada momento como vitima.

Sou tua vitima. Jesus, podes desafogar-te em mim!…”

“Sinto-me miserável; mas com Jesus, posso tudo”. “Sabes, Jesus, hoje (uma sexta-feira santa) farei as três horas por ti, para que salves todos os pecadores. São todos filhos teus. Salva-os”.

“Ofereço-me como vitima por todos. Prometo não te recusar nada. Qualquer espécie de sofrimentos, aceito tudo”.

“Não quero saber de justiça, quero misericórdia. Jesus, não é mais tempo de sofreres assim. Agora sou eu, é minha vez”.

“Minha Mãe Maria Santíssima, mostra que és Mãe de todos os pecadores”.

Teologia das Realidades Celestes

Anúncios