Lourdes e Fátima

A mensagem mariana destas aparições visa claramente a expiação. Em Lourdes, a Imaculada repete três vezes: penitência, penitência, penitência! Sua confidente,

Bernadete, ofereceu sua vida como vítima. “Estou sofrendo, mas estou contente em sofrer”. “Estou moída como um grão de trigo…

Terei sempre o suficiente em saúde, mas jamais bastante amor por Jesus… Esqueçam meu pobre corpo: ele vai bem; mas rezem por minha pobre alma…

Com Jesus sou mais feliz sobre meu leito do que uma rainha sobre seu trono”.

Doente para morrer, Bernadete recebe a visita de uma superiora.

Esta lhe diz, brincando: “O que está fazendo aqui, pequena preguiçosa?” “Querida madre, estou, estou exercendo minha função, meu emprego”.

“Qual?”

“O de estar doente”.

Encarrregada por Maria Santíssima de rezar todos os dias pelos pecadores, é sua última preocupação na agonia: “Quem vai rezar agora pelos pecadores?”

Nossa Senhora interessou-se em conseguir substitutos.

Pede aos três pastorinhos de Fátima o terço diário pelos pecadores. Como “estímulo” mostra-lhes uma visão do inferno.

Francisco e Jacinta morrem ainda crianças como vítimas.

Não importa para Deus o tempo que vivemos, mas o quanto vivemos para Ele, fazendo a sua Vontade.

Nossa Senhora de Fátima ensinou-nos a prece das vítimas: “Meu Deus, eu creio em vós; eu vos adoro; espero em vós, amo-vos. Por todos aqueles que não acreditam, que não adoram, não esperam, não vos amam”.

Teologia das Realidades Celestes