Lucie Cristine, +1908

Jesus: “As almas que consentem em sofrer tudo por meu amor nem sempre são destinadas a sofrer mais que outras. Mas o amor faz seus sofrimentos serem mais meritórios, mais leves, mais gloriosos para Deus, e mais adequados à sua salvação e à salvação de seus irmãos.”

“Compreendi que no sofrimento Nosso Senhor quer atrair-me ao seu Coração amável”.

“Ao oferecer minha alma… vi interiormente que a terra toda avançava e se oferecia comigo. Fiquei surpresa.

Jesus fez-me compreender que, quando uma alma se entrega plenamente ao amor e se oferece a ele pela salvação universal das almas, ele se digna dar às suas preces e obras um caráter universal, unindo-as à causa universal das almas”.

“Lastimo não poder visitar os pobres”… Jesus respondeu-lhe: “Sou eu o primeiro pobre do mundo, o primeiro e desamparado, o grande abandonado. Elas não pensam em mim”.

“Vi o olhar de Jesus pousar sobre os pecadores.

Seus olhos estavam cheios de lágrimas e de chamas de fogo de amor”.

“Paz no fundo da alma. Mas, no mais, uma angústia indizível. Muitas vezes é assim, quando ofereço a comunhão em desagravo ou pela salvação das almas”.

“Devo ser vitima escondida, desconhecida do mundo, como Jesus-hóstia”.

“Minha alma parecia-se a um vaso repleto, até a borda, da suavidade divina. E o vaso tinha fendas pelas quais algumas gotas de suavidade vazaram sobre aqueles que tinham ofendido a Deus, causando-me mal.

E Jesus me diz: Meu Coração foi traspassado para derramar meu amor e suavidade sobre vós todos; não é justo que o teu esteja partido a fim de dar minha suavidade aos outros?”

“Uma coisa notável: quando rezo por uma pessoa, imediatamente tenho de sofrer por ela ou por causa dela. Isto me dá um grande prazer”.

“Vejo um edifício que vai do fundo da terra até ao céu. Todo revestido de mármore… Chama-se glória de Deus e bem das almas… Era a obra que devia terminar.

Eu juntava pedras pequenas que feriam e ensangüentavam minhas mãos. Os anjos construíam com blocos enormes.

Mas Jesus olhava com muito carinho as pequenas pedrinhas tingidas de sangue”.

“Quando o sacerdote nada mais tem a fazer para a paróquia, ainda lhe cabe uma coisa: tornar-se santo. Foi-me mostrada esta verdade”.

“Jesus fez-me fazer um ato de fé na presença divina, em nome de toda a terra. Por aqueles que perderam a fé… por todos… o ato de fé que ele me pedira era um ato de amor”.

“Durante a noite, Jesus chamou-me e levou-me a uma loja maçônica”.

“Na alma dos pecadores, Jesus sofre ainda”.

(Perseguições religiosas) Jesus: “Aguardo que o número dos meus fiéis que sofrem… esteja completo”.

(Expulsão dos religiosos da França): “O sofrimento daqueles meus filhos perseguidos e banidos, e o sofrimento daqueles que lamentam o exílio deles, dá infinitamente mais glória a meu Pai que o bem que eles teriam feito na pátria”.

Jesus: “Deus tem planos totalmente desconhecidos dos homens”.

Teologia das Realidades Celestes