Jesus fala à Maria de Santa Cecília:

“Vejo tantas almas caírem no inferno, sem dúvida, porque elas querem. Mas também por causa do abuso de minhas graças pelas almas consagradas. Reza e suplica ao Pai celeste para salvar todas as almas, e santificar todas nas almas consagradas. Meu coração ama cada alma infinitamente.

Na minha vida terrestre, não pude fazer mais do que fiz. Agora quero continuar a redenção por meio da minha vida nas almas. Reza e suplica ao Pai”.

“Jesus mostrou-me a influência das almas consagradas…

Teu poder é infinito. A tua parte é grande na salvação e santificação de todas as almas, no presente e no futuro”.

“Deixa-me estar em ti. no estado de oblação e imolação perpétua… A maioria não quer saber de mim, de meu amor” .

“Silêncio e renúncia; não me recuses nada, nada!”

“Tenho necessidade de desagravo. Oferece-me, oferece meus méritos e meu sangue ao Pai.

O domingo seja de reparação pelos pecadores.

Segunda-feira, pela congregação.

Quarta-feira, pelas vocações.

Quinta-feira, pelas almas consagradas.

Sexta-feira, por todas as almas.

Sábado, pelos sacerdotes”.

“Estou atado em muitas almas consagradas. Corta esses liames”. “Como?” “Pelo amor e pelo sofrimento do meu coração. Não posso agir livremente nelas. Ama-me por elas”.

“Sorrir, sorrir sempre, mesmo quando te esmaga…

Ainda queres sofrer?” “Sim, como tu, até o fim. Dá-me esta graça”.

“Empenha-te em sorrir a tudo. Reprime, em silêncio, teus desgostos, tuas fadigas, tuas dores. Ocupa-te somente em agradar-me, sorrindo. Esquece teus sofrimentos; teu sofrimento não deve impedir de pensares mim. Tu nem existes mais. Não tens direito de pensar em teu sofrimento, pois na realidade sou eu que sofro em teu lugar”.

“A glória que meu Pai recebe depois da Redenção é muito maior do que se o homem nunca tivesse pecado, pois a reparação que eu ofereço é infinita, e compensa infinitamente todas as ofensas humanas. Cada vez que uma alma se une a mim para glorificar o Pai, ela lhe presta por mim uma glória infinita”.

“Jesus, o que queres para ser consolado?” “Oferece-me a meu Pai. Tenho sede de almas. Grande número se perde porque muitos dos meus sacerdotes não me amam bastante. Eles não tocam os corações porque não estão bastante unidos a mim. Contam demais com os meios humanos, com a própria ação e não o suficiente com a minha ação divina”.

“Quero que ames as almas com o mesmo amor que lhes dedico. E por conseguinte, que tu me deixes sofrer em teu lugar para salvá-Ias e santificá-Ias”.

“O sofrimento que te dou é de um preço infinito para as almas”.

Teologia das Realidades Celestes

 

Anúncios