Madre Francisca de Jesus, +1932

Fundadora da Companhia da Virgem (Petrópolis).

Pintando miniaturas, o pincel caiu-lhe das mãos, e por três vezes ouviu as palavras: “Amas-me?”

Vitima em 1922: “Nosso Senhor aparece-lhe carregando a cruz, seguido por uma multidão agitada. E Jesus lhe diz: “Quem sofreu tanto como eu?”

“Segue-me, preciso de ti. Recusas?” No mesmo instante, imprimiu-se a Santa Face na parede da cela, e permaneceu impressa..

“Seja eu fiel a minha amiga, a dor; terei muitas visitas dela”.

Jesus: “Escolhe: Queres a alegria de uma fé sem sombras, ou preferes a obscuridade e o sofrimento que te farão cooperar na salvação das almas?”

Francisca fez voto de vitima.

“Quero-te oculta, crucificada até a morte”.

“Escreve: entre todas as armas pelas quais os fiéis podem ajudar a Igreja a cumprir sua missão divina, a oração, unida à renúncia total de si mesmo, é sem dúvida a mais poderosa”.

Dizia no fim da vida: “Minha oração é como eu, cheia de rugas e desdentada” (mas eficaz pela confiança).

(GARRIGOU-LAGRANGE, Madre Francisca de Jesus, trad. port., Petrópolis,1939).

Reine Colin, +1935

Jesus lhe diz na segunda estação da Via-Sacra:

“Quando tomei sobre mim este peso, vi todas as almas que futuramente me consolariam, me ajudariam a carregá-lo. Por isto, não sucumbi”.

Jesus se substitui à alma vitima e reza ao Pai: “Pai, veja-a em mim; e nela veja a mim”.

“Tarefa da vitima: imolação total de si à vontade de Deus, aceitando todos os sofrimentos físicos ou morais, em união com o cálice da agonia no horto… sentir-se feito pecado… sentir-se feito ódio de Deus… sentir-se condenado”

.

“Não há degraus. Toda a alma que realmente quer responder ao meu desejo, a meu pedido de desagravo, deve renunciar-se em tudo, deve imolar-me todos os seus gostos, seus sentimentos. seu intelecto, sua vontade”…

“Toda a alma pode oferecer-se; preciso de uma legião de almas vitimas”.

“Eu amo, eu expio em ti. E conduzir-te-ei até a cruz.

Minha paixão será a tua. Não se pode amar sem sofrer.

Tenho sede de amor. Estou mendigando amor. Escreve isso. O amor é a reparação suprema”.

Reine: “Terei a eternidade para gozar o amor. Tenho só o tempo, para gozar o sofrimento”.

(Charles Maurras deve a ela sua conversão).

Teologia das Realidades Celestes

Anúncios