Padre João B. Reus, SJ, +1947

 

Jesus: “Eu preciso do teu coração. Quero que ele  me indenize e me faça companhia. Meu coração já não sabe mais onde repousar. Escolhi uma vítima em cujo coração desejo repousar. Quero que me ames e entregues tudo a mim” (104).

“Sinto-me encerrado no Sagrado Coração de Jesus…

Meu coração tem por assim dizer, o mesmo pulsar do coração de Jesus” (102).

Jesus trocou seu coração com ele: “Vi o coração de Jesus com todo o fulgor em mim, no lugar do meu”

Já um ano antes, em 1912, recebera as cinco chagas, a fim de sofrer junto com Jesus. Ficaram os estigmas sempre invisíveis, mas acompanharam-no até ao fim. De tempo em tempo, sentia-se pregado na cruz, participando das dores do Calvário.

“Peço muitas almas ao Senhor. Sacrifico-lhe tudo.

Sempre lhe peço mil almas; porque ele disse a uma santa que um justo pode alcançar perdão para mil almas. Freqüentemente, de dia e de noite, vejo caírem milhares de almas no inferno. Seus anjos de guarda voltam para o céu de mãos vazias” (115).

(KOHLER, João Batista Reus, Porto Alegre, 1952).

Século XX

As contemplativas deste século querem dar também sua contribuição (BRO, OP):

Uma contemplativa, anciã de setenta e um anos, diz:

“Nossa tarefa própria é rezar, rezar, rezar com nossas lágrimas, com nossos sacrifícios, com a prece de Cristo: rezar com seu Sangue”.

Uma beneditina, de quarenta e um anos: “Minha fé amorosa quer participar, tanto quanto ele deseja, do mistério da redenção. O discípulo não deve passar melhor que o Mestre”.

Um trapista, de vinte e oito anos: “Não se pode amar a Jesus sem partilhar com ele aquela sede pela salvação dos homens”.

Uma carmelita, de sessenta anos de vida e trinta e dois de convento: “Como reparação eu ofereço ao Pai o sacrifício de seu Filho e a mim, junto com ele, pela salvação do mundo. De que maneira nossa vida pode reparar o pecado do mundo? Segredo de Deus. Todavia, continuo rezando por aqueles que não rezam. Amo por aqueles que não amam”.

Maria Filippetto, +1927: “Mamãe, hoje sou missionária”.

“Por que?” “Sabe, hoje sinto dores muito grandes; Tudo pelas missões”.

TEOLOGIA DAS REALIDADES CELESTES

Anúncios