11. O DOM TOTAL

 

O REINO

 

A voz do deserto clama: Preparai o caminho de Deus. Chegou o reino do céu. Jesus inicia sua mensagem à humanidade: Chegou o reino de Deus.

 

Mil e novecentos anos depois, seu lugar-tenente na terra, São Pio X, em 1903 constata: “O mundo está mal.”

 

Doença grave? “Apostatou de Deus”. “Os que de ti se afastam, perecerão” (SI 72,27).

Pio X denuncia: “Os reis da terra sublevaram-se e os príncipes coligaram-se contra Javé e contra o Messias” (SI 2,2). “Disseram a Deus: retira-te de nós. Não queremos saber de teus caminhos” (Jo 21,14). “Os progressos da humanidade são exaltados merecidamente e os homens degladiam-se ferozmente. É luta de todos contra todos”(Pio X).

O Papa indica o remédio, receita antiga: “Fazer agora, na plenitude dos tempos, fazer convergir tudo em Cristo” (Ef 1,10), “A fim de que seja Cristo em tudo e em todos” (Cl 3,11).

 É mister subjugar o gênero humano ao reino de Cristo “até que Cristo se forme em nós” (Gl 4,19).

 

Pio XI denuncia os mesmos males: a humanidade afasta-se de Deus. Indica o remédio: o reinado de Cristo Rei.

 

Hoje, no fim do século, a situação piorou. Sinais dos tempos. O sinal foi dado “ontem e hoje e para todo o sempre, Jesus Cristo” (Hb 13,8). “É sinal de contradição… para ruína e ressurreição” (Lc 2,34).

O século XIX ignorou a presença de Deus. Nietzsche deu o aviso da morte de Deus. Hoje, na véspera da guerra atômica, somos convidados de todos os lados a assistir ao funeral… de Deus ou da humanidade?

 

Está escrito: “Confiai em mim; Eu venci o mundo” (Jo 16,33). “Estarei convosco até ao fim” (Mt 28,20).

Impossível viver sem Jesus. “Cristo é minha vida” (Fl 1,21).

 

O homem moderno difere muito do homem antigo. O homem antigo acendia velas de cera; o homem moderno inventou a luz elétrica, acende velas de Watt. O homem antigo atrelava cavalos ao carro; o homem moderno enche o tanque de gasolina. O homem antigo navegava com remo e velas; o moderno faz navios de ferro e motores a óleo diesel. E há mais: o homem antigo sentia-se feliz com Cristo; o homem moderno tenta viver sem Cristo e não se sente feliz. É o único ponto em que o homem moderno fracassou. Fatal. “Sem Cristo não é possível marchar até ao fim da vida” (T. Toth).

 

Citamos o lema da Juventude Católica Italiana, talvez modificando-lhe o sentido: “Ou Cristo ou a morte”.

E ouçamos o sermão de um homem antigo, Sto. Agostinho: “Por que faço pregação hoje? Por que estou sentado na cátedra de mestre? Por que vivo? Unicamente para que eu e vós, todos nós vivamos por Cristo”. “Esta a glória que estou cobiçando. É a fama que procuro. A alegria que desejo. E se não quereis ouvir minhas palavras, nem por isso me calarei: quero viver com Cristo”.

Diz São Paulo aos cristãos: “O presente e o futuro, tudo é vosso. Vós porém sois de Cristo” (1Cor 3,22). E nós aproveitamos a primeira parte do programa. Recusamos a segunda. É novamente São Paulo a nos recordar: “Ele deve reinar e reduzir todos os inimigos debaixo de seus pés”.. (1Cor 15.25).

Teologia das Realidades Celestes

 

Anúncios