CAPÍTULO IX

1ª Meditação: DA CRIAÇÃO

PREPARAÇÃO.

1. Ponha-se na presença de Deus.

2. Peça-lhe que te ilumine.

CONSIDERAÇÕES.

1. Considera que só faz alguns anos que não estavas no mundo e que teu ser era um verdadeiro nada. Onde estávamos, oh alma minha!, naquele tempo? O mundo era já de longa duração, e de nós ainda não se tinha notícia.

2. Deus te fez sair deste nada, para fazer de ti o que és, sem que precisasse de ti, unicamente por sua bondade.

3. Considera o ser que Deus te deu; o primeiro ser do mundo visível capaz de viver eternamente e de unir-se perfeitamente à divina Majestade.

AFETOS E RESOLUÇÕES.

1. Humilha-te profundamente diante de Deus e diga-lhe de coração com o salmista: «Oh Senhor!, sou um verdadeiro nada diante de Ti. E, como te recordastes de mim para criar-me?» Ah!, alma minha, tu estavas submerso no abismo deste antigo nada, e ainda estarias ali, se Deus não te houvesse tirado dela; e que farias neste nada?

2. Das graças de Deus. Oh meu grande e bom Criador, quanto te devo, pois me tirastes do nada, para fazer de mim o que sou por tua misericórdia! Que poderei fazer ainda para bendizer teu santo Nome e agradecer tuas imensas bondades?

3. Transtornado. Mas, oh Criador meu!, em lugar de unir-me a Ti pelo amor e servindo-te, me rebelei com minhas desordenadas afeições e me separei e afastei de Ti para juntar-me com o pecado, deixando de honrar a tua bondade, como se não fosses meu Criador.

4. Humilha-te diante de Deus. «Hás de saber, alma minha, que o Senhor é teu Deus; Ele é quem te fez» e não tu. Oh Deus meu!, sou obra de tuas mãos.

5. Não quero, daqui em diante, comprazer-me mais com mim mesma, porque, por minha parte, nada sou. De que te glorias, oh! pó e cinza? O melhor de que, de que te exaltes, oh verdadeiro nada? Para humilhar-me, quero fazer tal ou qual coisa, suportar este ou aquele desprezo. Desejo mudar de vida, seguir, adiante, ao meu Criador, e honrar-me com a condição de ser o que Ele me deu, empregando tudo em obedecer a sua vontade, pelos meios que me serão ensinados, acerca dos quais perguntarei ao meu pai espiritual.

CONCLUSÃO.

1. Dai graças a Deus. «Bendice, oh alma minha!, ao teu Deus e que todos minhas entranhas louvem seu santo Nome», porque sua bondade me tirou do nada e sua misericórdia me criou.

2. Falhe oferenda.¡Oh Deus meu!, te ofereço o ser que me destes, com todo meu coração; te dedico e te consagro.

3. Rogai. Oh Deus meu!, robustéce-me nestes afetos e nestas resoluções; oh Virgem Santíssima!, recomendo-as à misericórdia de teu Filho, com todos aqueles por quem tenho obrigação de rogar, etc.

Pai-Nosso, Ave-Maria.

Ao sair da oração, passeando um pouco, faz um pequeno ramalhe-te com as considerações que tivesses feito, para cheirá-lo durante todo o dia.

 INTRODUÇÃO À VIDA DEVOTA – São Francisco de Sales

Anúncios