Meditação 5ª: DA MORTE

PREPARAÇÃO.

1. Ponde-te na presença de Deus.

2. Pede-lhe sua graça.

3. Imagina que estás gravemente enferma, no leito de morte, sem nenhuma esperança de escapar dela.

CONSIDERAÇÕES.

1. Considere a incerteza do dia de tua morte. Oh minha alma!, um dia sairás deste corpo. Quando será? Será no inverno ou no verão? Na cidade ou no campo? De dia ou de noite? De repente ou advertindo-o? De enfermidade ou de acidente? Com tempo para confessar-te ou não? Serás assistida por teu confessor ou pai espiritual? Ah! de tudo isto não sabemos absolutamente nada; unicamente é certo que morreremos e sempre muito antes do que cremos.

2. Considere que então o mundo acabará para ti; para ti já terá deixado de existir, se trastornará de cima abaixo dinte de teus olhos. Sim, porque então os prazeres, as vaidades, os gozos mundanos, os vãos afetos nos parecerão fantasmas e névoa. Ah desdita! Por que bagatelas e quimeras ofendi a meu Deus? Então verás que temos deixado Deus por nada. Ao contrário, a devoção e as boas obras te parecerão então desejáveis e doces. E, por que não segui por este tão belo e agradável caminho? Então os pecados, que pareciam tão pequenos, parecerão grandes montanhas, e tua devoção muito exígua.

3. Considere as angustiosas despedidas com que tua alma abandonará este feliz mundo: dirá adeus às riquezas, às vaidades e às vãs companhias, aos prazeres, aos passa-tempos, aos amigos e aos vizinhos, aos pais, aos filhos, ao marido, a mulher, em uma palavra, a todas as criaturas; e, finalmente, seu corpo, o qual deixará pálido, desfigurado, descomposto, repugnante e mal cheiroso.

4. Considere com que pressas tirarão fora o corpo e o sepultarão, e que, uma vez feito isto, o mundo não mais pensará em ti, nem se recordará mais, como tu tampouco pensastes muito nos outros. Deus lhe dê o descanso eterno, dirão, e aqui se acabará tudo. Oh morte, quão digna és de meditação; quão implacável és ¡

5. Considere que, ao sair do corpo, a alma empreende seu caminho, parala direita ou para a esquerda. Ah! Para onde irá a tua? Qual caminho empreenderá? Não outro que o que tenha começado a seguir neste mundo.

AFETOS E RESOLUÇÕES.

1. Rogo a Deus e lanço-me em seus braços. Ah, Senhor!, recebe-me debaixo de tua proteção, naquele dia espantoso; faz que esta hora seja para mim ditosa e favorável, e que todas as demais de minha vida sejam tristes e estejam cheias de aflição.

2. Desprezo o mundo. Porque não sei a hora em que terei que deixá-lo, oh mundo!, não quero afeiçoar-me a ti. Oh meus queridos amigos!, meus queridos companheiros, permite-me que só os ame com uma amizade santa que possa durar eternamente. Porque porque viria unir-me convosco com laços que se tem que deixar e romper?

3. Quero Preparar-me para esta hora e tomar as necessárias precauções para dar felizmente este passo; quero assegurar o estado de minha conciência, fazendo tudo o que esteja ao meu alcance, e quero por remédio a estes e àqueles defeitos.

CONCLUSÃO.

Dê graças a Deus por estes propósitos que te inspirei; oferece-os à sua divina Majestade; pede-lhe de novo que te conceda uma morte feliz, pelos méritos da morte de seu Filho.

Pai-Nosso, etc.

Faz um ramalhete de mirra.

INTRODUÇÃO À VIDA DEVOTA – São Francisco de Sales

Anúncios