CAPÍTULO XXI

CONCLUSÃO PARA ESTA PRIMEIRA PURIFICAÇÃO

Feita esta promessa, esteja atenta e abre os ouvidos de teu coração para escutar, em espírito, as palavras de tua absolvição, que o Salvador de tua alma, sentado no trono de sua misericórdia, pronunciará, do alto dos céus, na presença de todos os anjos e santos, ao mesmo tempo que, em seu nome, te absolverá o sacerdote cá na terra.

Então, toda esta assembléia de bem aventurados, gozosos de tua felicidade, cantará o hino espiritual de incomparável alegria, e todas darão o beijo da paz e da amizade em teu coração, que terá voltado à graça e ficará santificado.

Oh Deus! Filotéia, eis aqui um contrato admirável, pelo qual celebras uma feliz aliança com sua divina Majestade, pois dando-te a Ele, lhe ganhas, e te ganhas a ti mesma para a vida eterna.

Só falta que tomes a caneta em tua mão e assines de coração a ata de tuas promessas, e que, depois, vás ao altar, onde Deus, por sua vez, firmará e selará tua absolvição e a promessa que te fará de te dar seu paraíso, pondo-se Ele mesmo, por meio de seu sacramento, como um timbre e um sagrado selo sobre teu coração renovado…

Desta maneira, bem me parece, oh Filotéia!, tua alma ficará purificada do pecado e de todo afeto pecaminoso.

Mas, como que estes afetos renascem facilmente na alma, por causa de nossa debilidade e de nossa concupiscência, a qual pode ficar adormecida, mas não pode morrer neste mundo, te darei alguns avisos, que se os praticares bem, te preservarão, no futuro, do pecado mortal e de todos seus afetos, para que jamais possa este entrar em teu coração. E, como que os mesmos avisos servem também para uma purificação mais perfeita, antes de dá-los, quero dizer quatro palavras sobre esta mais absoluta pureza, à qual quero conduzir-te.

INTRODUÇÃO À UMA VIDA DEVOTA – São Francisco de Sales

Anúncios