CAPÍTULO II

BREVE MÉTODO PARA MEDITAR, E PRIMEIRAMENTE DA PRESENÇA DE DEUS, PRIMEIRO PONTO DA PREPARAÇÃO

Talvez não saibas, Filotéia, como se faz oração mental, porque é uma coisa que, em nossos tempos, são, por desgraça, muito poucos os que a conhecem.

Por esta razão, te apresento um método simples e breve, confiando que, com a leitura de muitos e muitos bons livros que se tem escrito sobre esta matéria, e, sobretudo, pela prática, serás mais amplamente instruída.
Eu te indico, em primeiro lugar, a preparação, que consiste em dois pontos, o primeiro dos quais é colocar-se na presença de Deus, e o segundo, invocar seu auxílio.

Então, para ficar na presença de Deus, te proponho quatro importantes meios, dos quais poderás se servir no começo.

1º. consiste em formar uma ideia viva e completa da presença de Deus, ou pensar que Deus está em todo lugar, e que não há lugar nem coisa neste mundo onde não esteja com sua real presença; de maneira que, assim como os pássaros, por onde quer que voem, sempre encontram ar, também nós, onde quer que estejamos ou vamos, sempre encontramos a Deus.

Todos conhecemos esta verdade, mas nem todos a consideramos com atenção. Os cegos, que não veem o rei, quando estão diante deles não deixam de tomar uma atitude respeitosa se alguém lhes adverte de sua presença; mas, apesar disso, não o vendo, facilmente se esquecem de que está presente e afrouxam no respeito e reverência.

Ai, Filotéia! Nós não vemos Deus presente, e, mesmo que a fé nos diga, não o vendo com os olhos, nos esquecemos com frequência d’Ele e nos portamos como se estivesse muito distante de nós; pois, mesmo sabendo que está presente em todas as coisas, como não pensamos n’Ele, equivale a não conhecê-lo.

Por isto, é necessário que, antes da oração, procuremos que nossa alma atue, refletindo e considerando esta presença de Deus.

Este foi o pensamento de Davi, quando exclamou: «Se subo ao céu, oh meu Deus, ali Tu estás; se desço ao inferno, ali te encontro»; e, neste sentido, temos de tomar as palavras de Jacó, ao ver a sagrada escada, disse: «Oh! Que terrível é este lugar! Verdadeiramente, Deus está aqui e eu não sabia».

Quando quiser, pois, fazer oração, diga de todo coração ao teu coração: « Oh meu coração, oh meu coração! Realmente, Deus está aqui».

2º. para se colocar nesta sagrada presença, pense que não somente Deus está presente no lugar onde estás, mas que está muito particularmente em teu coração e no fundo de teu espírito, que vivifica e anima com sua presença, e é ali o coração de teu coração e a alma de tua alma; porque, assim como a alma, infundida no corpo, se encontra presente em todo lugar do mesmo, mas reside no coração com uma especial permanência, assim também Deus, que está presente em todas as coisas, mora, de uma maneira especial, em nosso espírito, porque dizia Davi: «Deus de meu coração», e São Paulo escrevia que «nós vivemos, nos movemos e estamos em Deus».

Ao considerar, pois, esta verdade, suscitarás em teu coração uma grande reverência para com Deus, que está nele intimamente presente.

3º. considerar que nosso Salvador, em sua humanidade, vê do céu todas as pessoas do mundo, especialmente os cristãos que são seus filhos, e ainda de um modo mais particular, os que estão em oração, cujas ações e movimentos contempla.

E isto não é uma simples imaginação, mas uma verdadeira realidade, mesmo não o vendo, Ele nos vê, lá de cima. Assim o viu Santo Estevão, durante seu martírio. Podemos, dizer com a Esposa dos Cântico dos Cânticos: «Vede-o atrás da parede, olhando pelas janelas, através das treliças».

4º. consiste em se servir da simples imaginação, representando-nos o Salvador, em sua humanidade sagrada, como se estivesse junto a nós, como geralmente representamos nossos amigos, quando dizemos: me parece que estou vendo tal pessoa, que faz isto e aquilo; diria que a vejo, e assim por diante.

Mas se o Santíssimo Sacramento estivesse presente no altar, então esta presença será real e não puramente imaginária, porque as espécies e as aparências de pão seriam tão só como um véu, atrás do qual Nosso Senhor realmente presente, nos veria e contemplaria, mesmo que nós não o víssemos em sua própria forma.

Empregarás, pois, um destes quatro meios para colocar tua alma na presença de Deus antes da oração, e não é necessário que uses tudo de uma vez, mas ora um, ora outro, e simples e livremente.

INTRODUÇÃO À UMA VIDA DEVOTA – São Francisco de Sales

Anúncios