CAPÍTULO III

A INVOCAÇÃO A DEUS, SEGUNDO PONTO DA PREPARAÇÃO

A invocação se faz desta maneira: ao sentir tua alma na presença de Deus, se prostra com extrema reverência, reconhecendo-se indigníssima de estar diante de tão soberana Majestade, e reconhecendo, não obstante, que esta bondade assim o quer, pede a graça de servi-la e adorá-la nesta meditação.

Se parece que poderás empregar algumas palavras breves e fervorosas, como o são estas de Davi: «Oh meu Deus, não me apartes de diante de tua face e não me tires teu santo Espírito.

Ilumina teu rosto sobre tua serva, e meditarei tuas maravilhas. Dá-me inteligência e considerarei tua lei, e a guardarei em meu coração. Eu sou tua serva; dá-me o espírito».

Também te será proveitoso invocar tu Anjo da Guarda e os santos personagens que entram no mistério que meditas: como, no da morte do Senhor, poderás invocar a Mãe de Deus, a São João, a Madalena e ao bom ladrão, para que te sejam comunicados os sentimentos e emoções interiores que eles receberam, e na meditação de tua morte, poderás invocar o Anjo da Guarda, que estará ali presente, para que te inspire as considerações oportunas, e assim nos demais mistérios.

A INVOCAÇÃO  À UMA VIDA DEVOTA – São Francisco de Sales

Anúncios